Posts com Tag ‘The Boxer’

O boxeador.

Publicado: 21/10/2010 em Do peito
Tags:, ,

I am older than I once was
And younger than I’ll be that’s not unusual.
No it isnt strange after changes upon changes
We are more or less the same
After changes we are more or less the same
Simon & Garfunkel – The Boxer

 

A fumaça nos prédios com os garotos e as garotas com frio nos trilhos e o cheiro da brisa e a cevada deixa azedo o sorriso na partida e na chegada e as putas nos postos nas ruas nos cantos são contos e encantos aos ricos e há miséria nos gritos e nas promessas e o incerto e as mentiras e o resto e a estação em que não chega e não deixa voltar faz uma clara diferença dos partires do querer e o do conseguir e é tudo merda e mentira e não está mais o que foi construído e fica apenas o que é vidro e se despedaça e a única coisa boa é ficar à toa e quem sabe se o engano é para sobreviver enquanto morre sem perceber e aos poucos enquanto deitado no conforto com o coração velho tolo que muda o mundo quando tudo está mudo mas que silencia quando há som e no seu rosto sério sob o céu azul escuro se desfaz no dia cinza mas ninguém vê ou percebe ou sente ou se despede já que os olhos talvez não fechem e os dedos talvez hesitem enquanto alguém cede e inverte e perde e se diverte com o adeus e o até mais e o talvez eu não volte já que é hora e não há qualquer novidade e deixe mas volte e fique bem e deixe mais e deixe mas volte e deixe mais e não olhe ou pense ou pese e é você só você ninguém além de você que se esconde e finge que é bom e finge cantar no tom enquanto o tempo desafina então também finja ser bom ou apenas finja já que parece o mais certo ainda que fique confuso quando visto de perto enquanto cai o céu e o bom senso e o bêbado e não quero estar só pois não tenho história além da minha e se eu cair também não é nada demais pois talvez não haja saudade mas estou sendo egoísta e sei que é mentira já que na origem existe então eu volto contente e sinto que mesmo assim estou perdido e que finamente pela primeira vez não faço idéia de como fazer parecer que está a meu favor o destino e eu sangro e sonho e acordo e morro para sempre sozinho até a próxima avenida.